,

Metabolismo da glicose

O metabolismo da glicose é um processo complexo e crucial para o fornecimento de energia ao organismo. Em primeiro lugar, a glicose é um monossacarídeo que é obtida principalmente a partir da nossa alimentação. No entanto, o corpo humano possui mecanismos para regular os níveis de glicose no sangue, garantindo a sua disponibilidade mesmo quando não ingerimos alimentos. Para isso, são ativados três processos-chave no metabolismo da glicose que serão detalhados um a um: glicogênese, glicogenólise e gliconeogênese.

Glicogênese

A glicogênese é o processo pelo qual a glicose é convertida em glicogênio. Em suma, o glicogênio é uma forma de armazenamento de glicose no fígado e nos músculos. Quando os níveis de glicose estão elevados, após uma refeição rica em carboidratos por exemplo, o pâncreas libera insulina a fim de estimular a captação de glicose pelas células. Em seguida, ocorre a conversão do excesso de glicose em glicogênio. Por fim, esse glicogênio é armazenado para ser utilizado posteriormente como fonte de energia quando os níveis de glicose estiverem baixos.

Glicogenólise

Por outro lado, a glicogenólise é o processo inverso. Ela consiste na quebra do glicogênio armazenado para liberar glicose na corrente sanguínea quando necessário. Em situações de jejum prolongado ou exercícios intensos por exemplo, os níveis de glicose estão baixos. Consequentemente, o glucagon é liberado pelo pâncreas, estimulando a glicogenólise no fígado. A enzima glicogênio fosforilase portanto é ativada, quebrando o glicogênio em unidades de glicose. A glicose então é liberada na corrente sanguínea para ser utilizada como fonte de energia pelas células.

Gliconeogênese

Por fim, a gliconeogênese é o processo pelo qual o organismo produz glicose a partir de precursores não glicídicos, como aminoácidos provenientes da quebra de proteínas. Em situações de jejum prolongado ou quando os estoques de glicogênio estão esgotados, o corpo precisa garantir um suprimento constante de glicose para órgãos vitais, como o cérebro. O fígado desempenha um papel fundamental na gliconeogênese, convertendo os precursores em glicose através de uma série de reações metabólicas.

Esses três processos, glicogênese, glicogenólise e gliconeogênese, trabalham em conjunto para garantir um equilíbrio adequado dos níveis de glicose no organismo, fornecendo energia quando necessário e armazenando o excesso para uso posterior.

Você estudante da área da saúde, já pensou em ter acesso a uma plataforma repleta de vídeo aulas, palestras, cursos e workshops que vão te ajudar a estudar e ir bem nas provas da faculdade? Pra saber mais é só clicar no link.

Referência bibliográfica:

NELSON, David L.; COX, Michael M.. Princípios de bioquímica de Lehninger. 7 Porto Alegre: Artmed, 2019, 1278 p.