Você como biomédico, já deve ter houve falar em tipos de hemólise na microbiologia. Caso não conheça ou não se lembre, saiba que essa é uma característica muito importante para a diferenciação de bactérias. Portanto, se você pretende atuar como microbiologista, te aconselho a permanecer neste post.

Vamos começar este texto esclarecendo o conceito de hemólise. Em resumo, a hemólise é um fenômeno caracterizado pela ruptura das hemácias. Em segundo lugar, é importante entender que existem basicamente três tipos de hemólise: alfa, beta e gama, cada um caracterizado por padrões distintos.

Hemólise alfa

A hemólise alfa é um tipo de hemólise parcial em que as bactérias causam uma descoloração esverdeada ou acastanhada no meio de cultura, devido à liberação parcial de hemoglobina das hemácias. Esse tipo de hemólise é frequentemente associado a bactérias como Streptococcus pneumoniae e algumas cepas de Streptococcus viridans. Ocorre por isso um escurecimento localizado em torno das colônias bacterianas no meio de cultura, indicando a presença de hemoglobina que foi liberada pelas hemácias. Esse tipo de hemólise é comumente observado em ágar sangue.

Hemólise beta

Por outro lado, a hemólise beta é caracterizada pela completa lise das hemácias, resultando em uma área de clareamento ao redor das colônias bacterianas no meio de cultura. Esse tipo de hemólise é mais comumente associado a bactérias como Staphylococcus aureus, Streptococcus pyogenes e Escherichia coli. O clareamento ao redor das colônias bacterianas ocorre devido à liberação total de hemoglobina das hemácias, deixando uma área translúcida no meio de cultura.

Hemólise gama

Já a hemólise gama é caracterizada pela ausência de lise das hemácias, ou seja, as bactérias não têm efeito hemolítico sobre as células vermelhas do sangue. Nesse caso, não há mudança na aparência do meio de cultura ao redor das colônias bacterianas. Bactérias que exibem hemólise gama incluem muitas espécies de enterobactérias, como algumas cepas de Escherichia coli e Klebsiella pneumoniae. Finalmente, essas bactérias não têm a capacidade de causar a lise das hemácias e, portanto, não produzem alterações visíveis no meio de cultura.

Em suma, é importante observar que a capacidade de uma bactéria de causar hemólise pode variar entre diferentes isolados da mesma espécie bacteriana e também pode ser influenciada por fatores como o tipo de meio de cultura utilizado e as condições de incubação. Portanto, a identificação e caracterização da hemólise são importantes para a diferenciação entre diferentes tipos de bactérias e podem fornecer informações úteis para o diagnóstico e tratamento de doenças infecciosas.

Se você deseja aprimorar seus conhecimentos em microbiologia e ganhar mais confiança para atuar na área, te convido a conhecer a ementa da nossa pós-graduação em microbiologia clínica. Nossa pós é 100% online, possui diploma reconhecido pelo MEC e conta com professores altamente capacitados e com vasta experiência na área. Clique no link para saber mais.

Referências bibliográficas:

TORTORA, Gerard J.; FUNKE, Berdell R; CASE, Christiane L. Microbiologia. 10 Porto Alegre: ArtMed, 2012, 934 p.